Últimas notícias sobre a crise fronteiriça entre a Ucrânia e a Rússia: atualizações ao vivo

Enquanto os líderes mundiais lutam para encontrar uma solução diplomática para o atual… Tensões entre a Rússia e a UcrâniaMudando a conversa para 2015 Acordo de Minsk Como uma saída possível para a crise.

O acordo, o segundo de seu tipo (e o mais significativo), foi firmado na capital bielorrussa em uma tentativa de encerrar o que era então um conflito sangrento de 10 meses no leste da Ucrânia.

Mas Minsk II nunca foi totalmente implementado, pois seus principais problemas permanecem sem solução.

À medida que a atual crise entre a Ucrânia e a Rússia se desenrolava, o acordo também ganhou destaque, pois ambos os lados alegam que existem violações de cessar-fogo em andamento no leste da Ucrânia.

Aqui está o que você precisa saber sobre o acordo:

Quem são os principais jogadores? Uma rara reunião entre líderes russos, ucranianos, alemães e franceses em fevereiro de 2015 procurou trazer a paz para áreas da Ucrânia capturadas por separatistas pró-Rússia no ano anterior. Essas áreas, na Ucrânia região de Donbass, ficou conhecida como a República Popular de Luhansk (LPR) e a República Popular de Donetsk (DPR). O governo ucraniano em Kiev confirmou que as duas regiões estavam de fato sob ocupação russa.

As conversações também visaram trabalhar para uma solução política para a região.

O resultado da Segunda Conferência de Minsk foi assinado por representantes da Rússia, Ucrânia, líderes separatistas e da Organização para Segurança e Cooperação na Europa. Mais tarde, foi ratificado por uma decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Quais são os termos do acordo? cessar-fogo. Em fevereiro de 2015, ainda havia fortes combates em algumas áreas entre as forças ucranianas e rebeldes apoiados pela Rússia, com os ucranianos sofrendo pesadas perdas.

READ  Um hospital ucraniano disse que a mãe estava protegendo sua filha do bombardeio e evitando que ela fosse ferida

Retire as armas pesadas das frentes.

Que a Organização para Segurança e Cooperação na Europa – uma organização de segurança de 57 membros que também inclui os Estados Unidos e o Canadá – está observando as linhas de frente.

Diálogo sobre eleições locais em áreas ocupadas por rebeldes pró-Rússia.

Restaurar plenamente os laços econômicos e sociais entre os dois lados para que, por exemplo, as pensões possam ser pagas.

Re-controle do governo ucraniano na fronteira com a Rússia.

Retirada de todas as forças estrangeiras e mercenários.

Uma reforma constitucional que daria alguma autonomia para as regiões da região de Donbass, no leste da Ucrânia, não estão mais sob o controle do governo central.

Leia mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *