Cimeira do G7: principais questões, agenda e participantes. Tudo que você quer saber

Bari (Itália) – A cimeira do G7 abre quinta-feira com acordo sobre uma agenda Uma proposta americana para apoiar um empréstimo de 50 mil milhões de dólares à Ucrânia E utilizando activos russos congelados como garantia, dando a Kiev uma forte oferta de apoio, mesmo quando o tabuleiro de xadrez político na Europa se desloca para a direita.

Diplomatas confirmaram que foi alcançado um acordo sobre o acordo antes da chegada dos líderes ao sul de Itália para a cimeira de três dias. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, estará presente e deverá assinar um acordo de segurança bilateral separado com o presidente dos EUA, Joe Biden.

Além da guerra na Ucrânia, Papa Francisco O Papa tornar-se-á o primeiro Papa a discursar numa cimeira do G7, acrescentando um toque de fama e autoridade moral ao encontro anual que se realiza este ano na região italiana da Apúlia. Na sexta-feira ele falará sobre As promessas e perigos da inteligência artificialMas também se espera que ele renove o seu apelo a um fim pacífico das guerras na Ucrânia. Gaza.

O G7 inclui Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos. A anfitriã Itália convidou vários líderes afro-argelinos Presidente Abdelmadjid TebbouneO Presidente do Quénia, William Ruto, e o Presidente da Tunísia, Kais Saied – para pressionar as iniciativas da Itália em África. Inclui outros convidados Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da SilvaO primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, recém-eleito, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Com Biden, o primeiro-ministro britânico Rishi Sunak e o presidente francês Emmanuel Macron a enfrentar eleições nos próximos meses, a pressão tem recaído sobre o G7 para fazer o que puder enquanto o status quo persiste.

Congelamento de ativos russos para apoiar a Ucrânia

A proposta americana inclui a utilização de lucros de aprox. US$ 260 bilhões em ativos congelados do Banco Central Russo A maior parte foi detida na União Europeia para ajudar a Ucrânia, emitindo um empréstimo de 50 mil milhões de dólares do governo dos EUA a Kiev, usando os lucros inesperados dos fundos congelados como garantia.

READ  Somália expulsa embaixador da Etiópia em meio a disputa sobre acordo portuário na Somalilândia

Uma autoridade francesa disse em um briefing aos repórteres na quarta-feira que uma decisão política havia sido tomada pelos líderes, mas isso não aconteceu Detalhes técnicos e legais Ainda não foi estabelecido um mecanismo para utilizar os activos. A questão é complicada porque se os activos russos fossem descongelados um dia – por exemplo, se a guerra terminasse – não seria possível utilizar os lucros extraordinários para reembolsar o empréstimo, exigindo acordos de partilha de encargos com outros países.

Na véspera da cimeira, Washington também enviou fortes sinais de apoio à Ucrânia Expandindo sanções contra a Rússia Visar as empresas chinesas que ajudam a sua máquina de guerra.

O novo tabuleiro de xadrez político na Europa

A primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, entra na reunião fortalecida a nível interno e externo, depois de o seu partido de extrema-direita ter tido um desempenho mais forte nas eleições para o Parlamento Europeu no fim de semana do que nas eleições de 2022, que a tornaram a primeira mulher primeira-ministra de Itália. A Itália, conhecida pelos seus governos de portas giratórias, está na posição invulgar de ser a potência mais estável da União Europeia.

O desempenho dos líderes dos outros dois países da União Europeia no G7, Alemanha e França, não foi tão preocupante, depois de os partidos de extrema-direita terem alcançado fortes resultados na votação. Macron Ele pediu eleições antecipadas E o chanceler alemão Olaf Schultz O partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha viu a sua vitória sobre os sociais-democratas.

Como resultado, é provável que Meloni consiga orientar a reunião de três dias para os seus principais pontos prioritários, ao mesmo tempo que fortalece o seu papel no cenário global, dizem os analistas. Um sinal relatado da sua força de extrema direita: o gabinete de Meloni negou relatos da mídia de que a Itália estava tentando suavizar a linguagem sobre o acesso ao aborto na declaração final.

READ  À deriva por 3 meses, o australiano e seu cachorro sobreviveram com peixe cru até que pescadores mexicanos o resgataram

Nick O’Connell, vice-diretor do Conselho do Atlântico, afirmou: “Embora seja improvável que os últimos resultados mudem fundamentalmente o foco da próxima cimeira do G7, esta vitória eleitoral proporciona ao Primeiro-Ministro Meloni uma vantagem adicional para enquadrar esta cimeira como uma ‘Cimeira Mediterrânica’. cimeira’. Basicamente”.

Isto inclui impulsionar a sua agenda de imigração, à medida que Meloni procura alavancar a sua plataforma de uma relação não exploratória com África para promover o desenvolvimento e, ao mesmo tempo, reduzir a migração ilegal para a Europa.

A Itália, que durante décadas foi o marco zero no debate sobre imigração na Europa, tem promovido a sua política Plano do companheiro Como forma de criar empregos e oportunidades em África e desencorajar os seus jovens de fazerem viagens perigosas através do Mediterrâneo. O plano inclui projectos-piloto em áreas como educação, saúde, água e saneamento, agricultura e infra-estruturas energéticas.

O Papa e a inteligência artificial

O Papa Francisco pediu Um tratado internacional para garantir que a inteligência artificial seja desenvolvida e usada de forma éticaReconhecendo a promessa que oferece, mas concentrando-se nas ameaças graves e existenciais que representa.

Ele transferirá esta campanha para os países industrializados do mundo numa altura em que as guerras estão a decorrer em múltiplas frentes. Uma de suas maiores preocupações era o uso de inteligência artificial em… setor de armamento, Esta tem sido uma preocupação recorrente para o Papa Jesuíta, que descreveu até os fabricantes de armas tradicionais como “comerciantes da morte”.

Mas Francisco também está preocupado com o que a inteligência artificial significa para os pobres e mais vulneráveis: tecnologia que poderia determinar a fiabilidade de um requerente de uma hipoteca, o direito de um migrante ao asilo político ou a possibilidade de reincidência por alguém anteriormente condenado por um crime. .

READ  A retirada israelense de Gaza indica o que vem a seguir

O Papa, de 87 anos, disse que também repetiria os seus apelos à paz durante a realização de seis reuniões bilaterais à margem da cimeira.

Acontecendo onde?

A cimeira do G7 está a decorrer num amplo resort de luxo que parece um cenário teatral, uma cidade falsa concebida para se assemelhar a uma das aldeias medievais caiadas de branco da Apúlia, mas que na verdade remonta apenas a 2010.

Localizado perto de um verdadeiro parque arqueológico, Borgo Egnazia apresenta ruas estreitas, vilas, restaurantes e uma praça completa com uma torre do relógio. É um local preferido entre as celebridades e estará fechado para pessoas de fora durante a cúpula.

Não há acomodações cinco estrelas à espera dos mais de 2.000 policiais e forças da gendarmaria trazidos para fornecer segurança. Na quarta-feira, as autoridades detiveram o navio de cruzeiro desativado que os abrigava no porto de Brindisi, depois de o sindicato da polícia se ter queixado de condições sanitárias inaceitáveis ​​a bordo.

Tal como acontece com qualquer G7, um grupo diversificado de activistas anti-globalismo, anti-guerra e anti-clima está a organizar protestos em torno do local da cimeira, mas longe do local onde os líderes se reúnem. Um grupo está a organizar um “Jantar dos Pobres” na noite de sexta-feira para apelar à “paz e aos direitos das pessoas e contra os Sete Grandes que afirmam decidir o destino do mundo e do nosso planeta”.

___

As jornalistas da Associated Press Angela Charlton e Sylvie Corbett em Paris contribuíram para este relatório.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top